Anel que pode ter pertencido a Pôncio Pilatos é identificado
Pirâmides da China têm mistério antigo desvendado por astrônomo italiano
3 de dezembro de 2018
Com 123 anos, processo mais antigo do Brasil será julgado amanhã
5 de dezembro de 2018

Anel que pode ter pertencido a Pôncio Pilatos é identificado

Localizado entre milhares de outros artefatos do início da era Cristã, como pedaços de vidro, cacos de cerâmica, pontas de flechas, moedas e outros itens, o anel só pôde ser identificado como ligado ao governador romano recentemente, com o auxílio de câmeras de alta precisão que revelaram a inscrição "de Pilatos".

Pôncio Pilatos foi governador da província romana da Judeia entre 26 d.C. e 36 d.C. Durante sua administração, demonstrou hostilidade aos moradores locais e quase provocou duas revoltas.

Pôncio Pilatos foi governador da província romana da Judeia entre 26 d.C. e 36 d.C. Durante sua administração, demonstrou hostilidade aos moradores locais e quase provocou duas revoltas.

Um anel bem simples, fabricado em liga de cobre, pode ser apenas mais um objeto encontrado em meio a tantos outros nas ruínas do palácio de Heródio, localizado a 12 km de Jerusalém, no deserto da Judeia. Datado do século I a.C., o objeto encontrado há mais de 50 anos ganhou um novo significado recentemente: pode ter pertencido a Pôncio Pilatos, o oficial e governador romano que ordenou a morte de Jesus, segundo a Bíblia.

Achar objetos valiosos de origem cristã não é novidade. Já falamos aqui no blog da Traduzca sobre o livro de metal que continha informações sobre a história cristã. O suposto anel de Pôncio Pilatos, localizado entre milhares de outros artefatos do início da era Cristã, como pedaços de vidro, cacos de cerâmica, pontas de flechas, moedas e outros itens, só pôde ser identificado como ligado ao governador romano recentemente, com o auxílio de câmeras de alta precisão que revelaram a inscrição “de Pilatos”. Não é descartada, porém, a hipótese de que o dono possa ser um servo ou um subalterno do oficial.

A descoberta da suposta propriedade do anel foi publicada recentemente no periódico Israel Exploration Journal. Segundo pesquisadores, o ornamento apresenta o desenho de uma ânfora, objeto utilizado para armazenar vinho ou água. Um dos autores da pesquisa, Roi Porat, acredita ser “implausível que um governador tivesse usado um anel tão simples, todo em metal, de liga de cobre e com uma temática judaica”, comenta. O nome Pilatos não era comum na região.

As inscrições no anel estão em grego, idioma mais falado na região. Não se descarta a hipótese de que o objeto possa ter sido utilizado como timbre para a correspondência oficial de Pilatos e seus funcionários. O grego era, também, o idioma usado por funcionários romanos para se comunicar com os povos do Mediterrâneo oriental.

Pôncio Pilatos foi governador da província romana da Judeia entre 26 d.C. e 36 d.C. Durante sua administração, demonstrou hostilidade aos moradores locais e quase provocou duas revoltas. Historiadores afirmam que Pilatos caiu em desgraça junto ao imperador romano Calígula e cometeu suicídio por volta do ano 37 d.C.

Comentários