Arábia Saudita está construindo cidade 33 vezes maior que Nova York
Descendentes de Luxemburgo têm direito à cidadania
25 de julho de 2018
Saiba qual é a diferença entre eclipse solar e lunar
27 de julho de 2018

Arábia Saudita está construindo cidade 33 vezes maior que Nova York

Um plano ambicioso está saindo do papel. Com o objetivo de diversificar a economia do país e reduzir a dependência do petróleo, o governo da Arábia Saudita iniciou a construção de uma nova cidade. Batizado de Neon, o local custará mais de US$ 500 bilhões, terá 33 vezes o tamanho de Nova York e contará, além de estrutura hoteleira, comercial e administrativa, com o abastecimento de energia 100% renovável. Embarque com a gente para conhecer este lugar que promete ser um polo de inovação.

Recentemente falamos aqui do plano do Catar em construir a cidade que será sede da final da próxima Copa do Mundo, que acontecerá em 2022. O plano da Arábia Saudita é um pouco diferente. Segundo o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman, o financiamento das obras será feito com recursos do governo, que espera arrecadar US$ 300 bilhões com a venda de 5% da petrolífera Saudi Aramco, e com fundos de investimento privado.

A primeira parte da obra será entregue até 2025, e um site de divulgação do projeto foi lançado recentemente. Com perfil moderno, a cidade pretende atrair “melhores talentos de todo o mundo para ampliar os limites da inovação como nunca antes e impulsionar o crescimento da região” e “será um lugar para os sonhadores do mundo”, diz o príncipe Bin Salman. O responsável por todo o projeto é Klaus Kleinfeld, ex-CEO da Siemens AG e da Alcoa.

Entre a estrutura que será erguida, está prevista a construção de palácios com estilo marroquino, desenhos islâmicos e azulejos coloridos, que serão usados pelo rei, o príncipe herdeiro e outros membros da realeza saudita. O complexo contará com marina, helipontos e um campo de golfe. Mas o que chama a atenção é o investimento em tecnologia: estruturas de gestão de água, biotecnologia, alimentação, entretenimento, ciências digitais, manufatura e, claro, hotéis para turismo, serão as primeiras construções de Neon.

Erguida em uma região montanhosa, Neon terá uma temperatura média 10°C inferior à média do país, devido aos 468 km de costa com praias intocadas, ilhas e até montanhas de 2,5 mil metros de altitude. O vento é um dos principais atrativos da nova cidade, que terá um complexo de exploração dos recursos eólicos e espaço para geração de energia solar.