Arqueólogos encontram ruínas de cidade desaparecida no Egito
Erro de tradução faz com que campanha publicitária tenha sentido oposto
18/10/2018
Conheça as diferenças de tradução simples e juramentada
22/10/2018

Arqueólogos encontram ruínas de cidade desaparecida no Egito

Cidade desaparecida foi encontrada por arqueólogos em Cairo, no Egito.

O Egito segue cercado de histórias e mistérios. Em uma pesquisa de rotina, arqueólogos egípcios encontraram as ruínas de uma construção antiga na capital Cairo. Acredita-se que essa ruína tenha sido uma casa luxuosa na antiga cidade de Mênfis. Segundo o governo egípcio, a estrutura tem 16 metros de comprimento e está localizada em uma região que teria sido, na época, uma zona residencial da região fundada pelo faraó Menés.

Menés uniu o Alto Egito e o Baixo Egito em apenas um país na metade final do século XXXI a.C. Mênfis já foi a capital do Egito e, mesmo depois do reinado do faraó, continuou como um importante centro religioso, comercial e cultural até o século IV a.C.

As paredes da construção são feitas de tijolos de barro e tijolos vermelhos. A construção possuía escadas na parte interior e sua estrutura traz quatro entradas com diversos corredores. Um banheiro no estilo romano brinda o lado sul da casa, além de um quarto, que aparentemente era utilizado para rituais religiosos.

Cidade desaparecida foi encontrada por arqueólogos em Cairo, no Egito.

Cidade desaparecida foi encontrada por arqueólogos em Cairo, no Egito.

Arqueologia no Egito

As descobertas arqueológicas não são novidade no Egito. Somente em 2018, arqueólogos descobriram o vilarejo mais antigo de Gizé e, na mesma cidade, pesquisadores encontraram uma tumba de mais de 4 mil anos.

Recentemente, falamos aqui no blog da Traduzca sobre o caso do faraó Ramsés II, um dos mais famosos governantes egípcios da história, que teve um passaporte expedido em 1976 quando sua múmia viajou para a França com a finalidade fazer um tratamento de reparo e restauração.

No Egito, as conhecidas pirâmides seguem sendo as principais atrações. As mais famosas, que formam o sítio arqueológico da Necrópole de Gizé, são Quéops, Quéfren e Miquerinos. Até novembro de 2008, existiam fontes que totalizam entre 118 e 138 o número de pirâmides egípcias identificadas.  A maioria delas foi construída como túmulos para os faraós e seus consortes durante os períodos do Antigo e Médio Império Egípcio.



1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by