Arquiteto usa emojis para decorar fachada de prédio na Holanda - Traduzca - Tradução juramentada, simultânea e documentos. Orçamento online!
Cinco motivos que fazem da Finlândia a melhor educação do mundo
15 de fevereiro de 2019
Ferramenta compara mapas do século XVIII com atuais
19 de fevereiro de 2019

Arquiteto usa emojis para decorar fachada de prédio na Holanda

Uma das atividades mais legais de quando viajamos para um lugar que ainda não conhecemos é observar a arquitetura de construções antigas. Sempre observamos o traçado que os arquitetos da época imaginaram, as inspirações e as formas utilizadas. Nos prédios mais antigos, ainda podemos observar rostos em homenagem a líderes do passado e figuras que marcaram a história da região. Mas agora imagine essa homenagem dar espaço para emojis. Sim, isso está acontecendo, e é o que apresentamos hoje.

Falamos aqui no blog da Traduzca recentemente sobre a enciclopédia dos emojis, chamada de Emojipédia. Inspirado nos desenhos que usamos para nos comunicar nos dias de hoje, o arquiteto Changiz Tehrani resolveu decorar a fachado de um edifício na cidade holandesa de Amersfoort. Ele utilizou 22 emojis diferentes em concreto em pontos da construção, dando um ar moderno e descontraído ao prédio.

“Na arquitetura clássica, eram usados bustos da nobreza ou qualquer outra coisa para a fachada”, argumenta o arquiteto em entrevista ao portal The Verge. “Então pensamos o que poderíamos usar como um ornamento, para quando alguém olhasse para o edifício daqui a 10 ou 20 anos, pudesse dizer: ‘ei, é daquela época!'” Os emojis foram a melhor solução encontrada. O arquiteto conta que as pessoas param na praça e tiram fotos do prédio e conclui: “Sempre gostamos de colocar pequenos detalhes que tornam o projeto um pouco mais que apenas mais um prédio”.

Os emojis são os mesmos utilizados no aplicativo de troca de mensagens WhatsApp. Cada um foi impresso em modelo 3D e enviado para uma empresa que fabricou o molde em concreto. Críticos do projeto dizem que a utilização dos desenhos é um truque comercial que logo ficará ultrapassado, mas o responsável pela ideia diz que “o divertido é abraçar o que é verdadeiramente contemporâneo”.