Artista italiano cria retratos de celebridades usando cubos mágicos
Aplicativo apresenta histórias de mulheres não contadas em livros
7 de maio de 2019
Três dicas para encontrar informações sobre sua árvore genealógica
9 de maio de 2019

Artista italiano cria retratos de celebridades usando cubos mágicos

Um dos jogos mais populares do mundo que atravessa gerações, é o cubo mágico. O pequeno brinquedo com peças coloridas, cujo objetivo é colocar todas em ordem, tem fãs em vários países e até campeonato mundial. Um dos participantes de torneios é o italiano Giovanni Contardi, de 24 anos, que resolveu levar a diversão a sério e agora faz arte com o objeto. Suas obras fazem sucesso em exposições e nas redes sociais.

Com mais de cem medalhas e dezenas de recordes em várias categorias de competições de cubo mágico, Contardi passou a usar sua habilidade com o projeto para criar retratos de celebridades, como Freddie Mercury, Bob Marley, Marilyn Monroe, Ellen deGeneres e John Lennon. Os quadros do italiano são uma mistura de pop art com pontilhismo, têm mais de 350 mil seguidores no Instagram e já foram vendidos por até US$ 29 mil (aproximadamente R$ 115 mil).

A arte de Contardi impressiona pelos detalhes e pela técnica utilizada. Além de apresentar seu trabalho nas redes sociais, alguns de seus quadros estão expostos na Gallery 104, localizada em Nova York, nos Estados Unidos. Em entrevista ao site CuppaWOW, ele diz que seu “fundo artístico vem do mundo dos grafites” e que agora está “focado em entender mais sobre retratos e como melhorar a definição dos trabalhos”.

Cada obra leva em torno de três a quatro semanas para ficar pronta e requer um grande planejamento das seis cores do brinquedo: azul, amarelo, branco, laranja, verde e vermelho. Mas a demora em resolver a combinação das cores restringe-se somente aos quadros. O italiano já conseguiu resolver um cubo mágico completo em 10 segundos e já foi vice campeão mundial em uma competição do gênero. Fãs do trabalho dizem que a arte de Contardi é cubista, uma brincadeira em alusão ao movimento do século XX, que tem como um de seus expoentes o espanhol Pablo Picasso.