Cidade da Noruega quer banir o conceito de “hora” durante o verão
Gárgulas de Notre-Dame podem ser reconstruídas com restos do incêndio da Catedral
19 de junho de 2019
Mapa interativo apresenta idiomas e sotaques de todo o mundo
24 de junho de 2019

Cidade da Noruega quer banir o conceito de “hora” durante o verão

Imagine um lugar onde o sol brilha ininterruptamente por 69 dias no verão e não aparece por um segundo sequer durante o inverno. A ilha de Sommarøy, na Noruega, começa a viver plenamente o dia a partir de hoje, com o início da estação mais quente do ano no hemisfério norte. A população, então, decidiu solicitar ao parlamento local uma nova lei um tanto curiosa: o fim do relógio. Será que essa moda pega?

A ideia é do norueguês Kjell Ove Hveding e ganhou adeptos após divulgação no noticiário local. Em entrevista ao site El País, ele diz que o objetivo do projeto “é fornecer flexibilidade máxima, 24 horas por dia e sete dias por semana” e que “se você quiser cortar a grama às quatro da manhã, faça-o”. O morador da ilha afirma que a proposta apenas formaliza uma prática já adotada pela população de Sommarøy, aproximadamente 300 pessoas.

Banhada pelo mar da Noruega, a ilha pesqueira está localizada bem ao norte da Terra, e os dias e as noites ininterruptas são comuns na região. Hveding afirma que “as pessoas se esqueceram de como é ser impulsivo, de decidir que, se o tempo está bom, o sol está brilhando, poder simplesmente viver — mesmo que sejam três horas da manhã”. Já Malin Nordheim, recepcionista de um hotel local, diz que a ideia será “emocionante”, pois “será um desafio para os hóspedes em relação aos horários de check-in e check-out, além do horário de abertura do bar e restaurante”, brinca.

Estudiosos do ritmo circadiano, que é o relógio biológico humano, dizem que a humanidade não está pronta para viver nos árticos. Em entrevista ao site Gizmodo, a especialista Hanne Hoffman diz que “nosso corpo se adaptou a esse ciclo de 24 horas gerado pela rotação da Terra. Nós realmente não podemos ir contra a evolução, e é isso que está acontecendo nesses locais. Você está indo contra aquilo que estamos programados para fazer”.