Cidade na Itália dá cerveja e sorvetes em troca de exercícios físicos
O que é o Novembro Azul e quando ele começou
5 de novembro de 2018
Objeto espacial pode ter sido enviado à Terra por alienígenas
7 de novembro de 2018

Cidade na Itália dá cerveja e sorvetes em troca de exercícios físicos

Para incentivar o exercício físico e o consumo de uma alimentação mais consciente, a prefeitura de Bolonha, na Itália, disponibiliza sorvete e cerveja grátis para quem utilizar bicicletas.

Para incentivar o exercício físico e o consumo de uma alimentação mais consciente, a prefeitura de Bolonha, na Itália, disponibiliza sorvete e cerveja grátis para quem utilizar bicicletas.

Para incentivar o exercício físico e o consumo de uma alimentação mais consciente, a prefeitura de Bolonha, na Itália, disponibiliza sorvete e cerveja grátis para quem utilizar bicicletas.

A preocupação com a saúde tem crescido nos últimos anos. Vemos cada vez mais academias abrirem à nossa volta, e redes de fast-food criarem pratos balanceados. Mas o que a cidade de Bolonha na Itália fez é novidade. Para incentivar o exercício físico e o consumo de uma alimentação mais consciente, além de auxiliar na contenção da poluição provocada pela emissão de gases causadores do efeito estufa,  a prefeitura disponibiliza sorvete e cerveja grátis para quem utilizar bicicletas.

Idealizado pelo urbanista italiano Marco Amadori, o projeto oferece sorvete, cerveja, ingressos de cinema entre outras coisas para os moradores que fizerem viagens de bike ou ônibus, tornando o seu meio de transporte ecologicamente sustentável.

O funcionamento é bem simples, porém inteligente o suficiente para identificar trapaças. O usuário registra as viagens que fizer de bicicleta ou transporte público por um aplicativo, chamado Bella Mossa. Depois, pode trocar os pontos que juntar nos estabelecimentos que participam do programa.

Com sistema de GPS integrado, o aplicativo criado consegue rastrear a velocidade e a duração da viagem, evitando que alguém aja de má fé para se dar bem. Ao final da viagem, o sistema ainda mostra a quantidade de dióxido de carbono que deixou de ser emitida na viagem, devido à não utilização de carro.

O sistema não recompensa a distância percorrida, mas a assiduidade. Desta maneira, os pontos são obtidos por viagem e não por quilometragem para estimular os participantes a usarem o meio de transporte mais limpo o maior número de vezes possível.

O projeto, que foi financiado com recursos da União Europeia e da prefeitura de Bolonha, foi um sucesso. Mesmo funcionando somente seis meses por ano, até o momento, foram registrados 3,7 milhões de quilômetros e 16 mil cupons já foram trocados.

Comentários