Com jogo de videogame, projeto recria monumentos já destruídos
UNESCO lista patrimônios da humanidade ameaçados de destruição
17/05/2019
Comunidade científica internacional redefine o valor de 1Kg
21/05/2019

Com jogo de videogame, projeto recria monumentos já destruídos

Os inúmeros conflitos armados registrados ao longo de nossa história causaram a destruição de monumentos que contam a evolução da humanidade. O Templo de Baal Shamin, em Palmira, na Síria, e o Mosteiro do Mártir Elian, localizado em Beth Khdeda, no Iraque, foram destruídos pelo grupo Estado Islâmico em 2015, deixando para os livros escolares contarem o que lá aconteceu. Para que outras gerações também possam ter acesso a esse acervo cultural, um projeto baseado em um jogo de videogame está recriando algumas construções.

A iniciativa é uma parceria da UNESCO, órgão da ONU responsável por listar e preservar esses bens, com a Microsoft, empresa de tecnologia e desenvolvedora do game “Minecraft”, que tem uma versão educativa destinada às escolas de todo o mundo. Com o apoio de professores e pesquisadores, o projeto “History Blocks” surgiu como uma resposta à destruição de centenas de monumentos históricos em zonas de guerra e conflito armado.

Já presente em escolas em mais de 30 países, inclusive no Brasil, o projeto tem como objetivo recriar no meio digital, de forma colaborativa, os monumentos já destruídos. Os responsáveis pelo projeto dizem que qualquer escola pode aderir, basta utilizar o Minecraft Education Edition e acessar o plano pedagógico. O projeto, segundo o site B9, contou com a colaboração de professores que orientaram através de um plano de aulas a construção colaborativa de monumentos destruídos pela guerra no Oriente Médio que já foram projetados na plataforma.

A ideia é que professores possam trabalhar com seus alunos projetos para reconstruir, restaurar e preservar os Patrimônios da Humanidade destruídos pelos conflitos no Oriente Médio. Em São Paulo, por exemplo, a Escola Bosque, localizada na zona sul da cidade, é reconhecida pela Microsoft e UNESCO como modelo no uso de tecnologias como ferramenta de ensino no Brasil, e os alunos participantes conseguiram recriar duas grandes construções em aproximadamente duas semanas.



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by