Com proprietário fora, voluntários ajudam a manter livraria concorrente funcionando
Conheça o Buraco Azul de Belize, o maior sumidouro do mundo, localizado no Caribe
13 de março de 2019
A moeda de 50 centavos de libra esterlina apresenta o nome de Stephen Hawking, um um buraco negro e uma das fórmulas desenvolvidas pelo físico inglês ao longa da carreira.
Moeda em homenagem a Stephen Hawking é lançada no Reino Unido
15 de março de 2019

Com proprietário fora, voluntários ajudam a manter livraria concorrente funcionando

O mercado de livros está cada vez mais competitivo. Muitas livrarias estão fechando suas lojas e apostando as fichas nas vendas pela internet, seja de livros físicos, e-books ou dispositivos de leitura. Porém, uma situação fora do comum e que parece não levar em conta o momento editorial chamou a atenção dos fãs de leitura em San Diego, Estados Unidos. Comerciantes concorrentes estão ajudando a manter uma livraria aberta enquanto o proprietário se recupera de uma cirurgia de emergência.

Tudo começou quando Seth Marko, proprietário da livraria The Book Catapult, precisou ser internado para fazer uma cirurgia. Por coincidência da vida, a única funcionária da loja também estava afastada de suas funções para tratar de uma gripe suína. Sem saída, Jennifer Powell, esposa de Marko e que também trabalha na livraria, decidiu então fechar o estabelecimento para ficar junto do marido durante o período de recuperação.

Vendo o que acontecia, Scott Ehrig-Burgess, proprietário da livraria The Library Shop, também em San Diego, decidiu entrar em ação e ajudar o casal de amigos e concorrentes. Além de cuidar da filha de três anos dos proprietários da The Book Catapult, Ehrig-Burgess acionou uma rede de pessoas ligadas ao mercado de livros para pedir apoio. E muita gente topou. “O que posso fazer para ajudar? Você precisa de alguém para ficar no estabelecimento?” era a mensagem mais recebida, conta o empresário e apoiador em entrevista ao jornal The Washington Post.

Muitas pessoas foram chegando para ajudar e Ehrig-Burgess estabeleceu um revezamento por turnos. Em um só dia, oito voluntários aparecem para prestar apoio na loja concorrente. Um deles foi Julie Slavinsky, que trabalha na livraria Warwick’s. Entrevistada ao site do The Washington Post, ela disse que vê a atitude “como forma de ajudar alguém na comunidade. Trata-se de uma comunidade se unindo”. Para completar, uma campanha de crowdfunding foi criada como o objetivo de ajudar os proprietários da The Book Catapult.

Ao ficar sabendo do apoio que estava recebendo de lojas concorrentes, Marko disse que se emocionou e que “cuidar da livraria é como ter um filho. Você coloca muito esforço nisso.” Quando voltaram para o trabalho, encontraram a The Book Catapult em ordem, como se nada tivesse acontecido.