Conheça Matera, a cidade italiana que ficou inabitada por mais de 10 mil anos

Ao planejar uma viagem para a Itália, muitas pessoas roteirizam os seus passeios apenas com os lugares mais conhecidos, como Veneza, Florença, Roma e Milão.  São destinos fantásticos, sem dúvida alguma. Mas muitos viajantes, ao visitarem a Itália, deixam de lado aquilo que há de mais charmoso em qualquer país europeu: as pequenas cidades, como Matera.

Matera

Também conhecida como “la Città Sotterranea” (A Cidade Subterrânea), Matera é considerada umas das cidades mais antigas do mundo. Praticamente intocada desde sua fundação, o território italiano passou mais de 10 mil anos completamente inabitado.

A cidade italiana traz consigo, através de sua arquitetura única, todo o encanto de um lugar que passou tanto tempo sem habitantes. As casas esculpidas em pedras, chamadas de “sassi”, serviram como assentamentos para monges no início do cristianismo.  A estrutura da cidade se mantém homogênea desde então. Em 1993, os Sassi de Matera foram considerados Patrimônio da Unesco.

Apesar de Matera ser tipicamente rústica, a cidade também é lembrada quando o assunto é inovação e experimentação. Foi lá que surgiu a primeira cisterna, sistema hidráulico milenar para armazenamento e distribuição de água. Caso você visite a cidade, poderá conhecer um destes reservatórios subterrâneos que ficou escondido por anos.

Atualmente, o que se pode ver em Matera é uma grande compilação de diversas eras. Desde a pré-história, com as vilas do neolítico que se desenvolveram nas Idades do Bronze e do Ferro e que continuaram habitadas no período dos Romanos, na Idade Média e assim por diante.

As peculiaridades de Matera também atraíram produções cinematográficas. O filme “A Paixão de Cristo”, dirigido por Mel Gibson, foi gravado na cidade, o que atraiu ainda mais turistas para Matera após o seu lançamento.

Ao que tudo indica, a cidade continuará em evidência nos próximos anos. Ao lado de Plovdiv, na Bulgária, Matera foi escolhida como “Capital Cultural da Europa 2019”, fazendo com que o território italiano encante ainda mais pessoas ao redor mundo.

Comentários