Francês atravessa o Oceano Atlântico dentro de um barril
Três dicas para encontrar informações sobre sua árvore genealógica
9 de maio de 2019
Três erros de digitação são encontrados na nota de 50 dólares australianos
13 de maio de 2019

Francês atravessa o Oceano Atlântico dentro de um barril

Quem assistiu televisão nos últimos 30 anos conhece a história do Chaves. Uma das séries de TV mais marcantes da história conta o cotidiano de um menino órfão que mora em uma vila dentro de um barril. Agora imagine atravessar o Oceano Atlântico em um objeto similar ao usado como moradia pelo clássico personagem. Foi o desafio encarado e concluído pelo francês Jean-Jacques Savin, de 72 anos, na última quinta-feira, dia 9 de maio, após quatro meses de viagem pelo mar.

Quem assistiu televisão nos últimos 30 anos conhece a história do Chaves. Uma das séries de TV mais marcantes da história conta o cotidiano de um menino órfão que mora em uma vila dentro de um barril. Agora imagine atravessar o Oceano Atlântico em um objeto similar ao usado como moradia pelo clássico personagem. Foi o desafio encarado e concluído pelo francês Jean-Jacques Savin, de 72 anos, na última quinta-feira, dia 9 de maio, após quatro meses de viagem pelo mar.

A viagem começou no dia 26 de dezembro de 2018, quando o ex-paraquedista militar Jean-Jacques Savin deixou a ilha espanhola de El Hierro, nas Canárias, dentro de uma pequena embarcação em formato de barril impulsionada exclusivamente pelas correntes marítimas. Sua cápsula mede 3,00 metros de comprimento e 2,10 metros de altura e é super equipada. A estrutura conta com cama, cozinha e depósito para alimentos e equipamentos. Além disso, o francês tinha uma pequena janela no chão, onde acompanhava os peixes por onde passava.

A viagem começou no dia 26 de dezembro de 2018, quando o ex-paraquedista militar Jean-Jacques Savin deixou a ilha espanhola de El Hierro, nas Canárias, dentro de uma pequena embarcação em formato de barril impulsionada exclusivamente pelas correntes marítimas. Sua cápsula mede 3,00 metros de comprimento e 2,10 metros de altura e é super equipada. A estrutura conta com cama, cozinha e depósito para alimentos e equipamentos. Além disso, o francês tinha uma pequena janela no chão, onde acompanhava os peixes por onde passava.
O barril marítimo conta com um painel solar usado para gerar energia para alimentar seus equipamentos de comunicação e o GPS e foi projetada para resistir a fortes ondas e possíveis ataques de animais, como baleias orcas.

Fã do navegador francês Alain Bombard, que cruzou o Oceano Atlântico em 1952 a bordo de um bote de borracha, Savin tinha alguns recursos a mais em sua expedição. Seu barril marítimo conta com um painel solar usado para gerar energia para alimentar seus equipamentos de comunicação e o GPS. A cápsula ainda foi projetada para resistir a fortes ondas e possíveis ataques de animais, como baleias orcas.

A viagem terminou após 127 dias e 5,8 mil quilômetros percorridos. O francês desembarcou na Martinica após embarcar em um petroleiro próximo da ilha holandesa de Santo Eustáquio, também no Caribe. Quando desembarcou no porto de Fort-de-France, o ex-paraquedista encontrou sua esposa e disse que fez “uma viagem emocionante, mas também muito arriscada”. Quatro quilos mais magro e com muitas novas histórias para contar, Jean-Jacques Savin seguiu para um hospital e fez um “checkup completo” para depois planejar a próxima aventura.