A invisível fronteira de idiomas que separa a Suíça - Traduzca - Tradução juramentada, simultânea e documentos. Orçamento online!
Jornal da Finlândia cria suéteres de Natal com as piores notícias de 2018
19 de dezembro de 2018
Oito coisas que tinham um nome totalmente diferente e você não sabia
21 de dezembro de 2018

A invisível fronteira de idiomas que separa a Suíça

“Röstigraben” ou “vala que separa os Röstis”, é como a linha invisível que divide a Suíça Alemã da Suíça Francesa é chamada. A expressão surgiu durante a Primeira Guerra Mundial, quando os aliados do país foram divididos de acordo com seus idiomas.

“Röstigraben” ou “vala que separa os Röstis”, é como a linha invisível que divide a Suíça Alemã da Suíça Francesa é chamada. A expressão surgiu durante a Primeira Guerra Mundial, quando os aliados do país foram divididos de acordo com seus idiomas.

“Röstigraben” ou “vala que separa os Röstis”, é como a linha invisível que divide a Suíça Alemã da Suíça Francesa é chamada. A expressão surgiu durante a Primeira Guerra Mundial, quando os aliados do país foram divididos de acordo com seus idiomas.

Ao imaginar uma fronteira, o que geralmente vem à cabeça é uma divisão política. Uma linha sólida, em certos casos, um muro que separa dois países. Uma fronteira é uma das formas de se dividir duas regiões. Mas existem outros tipos de fronteira, como fronteiras culturais ou, até mesmo, linguísticas. E ninguém entende melhor disso que a Suíça. O país apresenta uma mistura de idiomas e culturas que faz da Suíça um exemplo quase único.

Há quatro idiomas oficiais no país: alemão, francês, italiano e romanche, dialeto nativo falado por poucos suíços. Um quinto, o inglês, é cada vez mais usado para driblar as barreiras linguísticas. A Suíça é um exemplo de nação multilíngue, como a Bélgica, também dividida linguisticamente entre francês e alemão, e o Canadá, dividido entre inglês e francês.

“Röstigraben” ou “vala que separa os Röstis”, é como a linha invisível que divide a Suíça Alemã da Suíça Francesa é chamada. A expressão surgiu durante a Primeira Guerra Mundial, quando os aliados do país foram divididos de acordo com seus idiomas. Rösti é um prato tradicional da culinária suíço-alemã à base de batatas, que leva bastante bacon, cebola e queijo. A expressão criada pelos alemães é uma caricatura cultural dos dois lados da Suíça.

Um fato curioso é que 50% dos suíços de língua alemã cruzam a divisa apenas uma vez por ano e cerca de 15% nunca passaram por ela. É o que revela um levantamento recente conduzido pelo instituto de pesquisa Sotomo, em Zurique, capital do país. Outra curiosidade é encontrada na cultura multilinguística do país; falar vários idiomas representa para a Suíça o mesmo que o futebol para os brasileiros: motivo de orgulho nacional.

Por lá, você é considerado um “não-suíço”, quando você se gabar das habilidades linguísticas. A diversidade de idiomas na Suíça é uma característica muito antiga e já comum para todos os cidadãos. O país sempre esteve cercado de vários povos e culturas, uma vez que a região fica na encruzilhada de vários povos. Quando a Suíça moderna foi formada, em 1848, as fronteiras linguísticas já estavam formadas.