General herói da independência dos Estados Unidos era uma mulher
Localidade da Itália pode multar quem usar chinelos ou carrinhos de bebê
9 de abril de 2019
Jovem de 29 anos é uma das responsáveis pela primeira imagem de um buraco negro
11 de abril de 2019

General herói da independência dos Estados Unidos era uma mulher

A guerra pela independência dos Estados Unidos é um dos conflitos armados mais famosos da história da América e da Europa. Envolvendo países dos dois continentes, o combate, que tem como data magna o 4 de julho, o feriado mais comemorado pelos norte-americanos, ainda guarda mistérios para pesquisadores e historiadores. Um deles está quase resolvido e envolve um dos generais mais importantes para o exército que lutava contra a Grã-Bretanha.

Recentemente falamos aqui no blog da Traduzca sobre a descoberta de que o mais famoso guerreiro viking, conhecido pela bravura e falta de piedade, era uma mulher. E a história que contamos hoje é bem semelhante. Pesquisadores constataram que o general polonês Casimir Pulaski, conhecido por salvar George Washington da morte ou da captura na Batalha de Brandywine, em 1777, também era do sexo feminino. O resultado foi obtido após análises comparativas com o DNA mitocondrial do túmulo da sobrinha neta do combatente.

Esse dado chama atenção porque Casimir Pulaski foi general do exército norte-americano em um período em que era impensável mulheres servindo às forças armadas. Acredita-se, porém, que o polonês sofresse de uma mutação genética desconhecida na época, hoje chamada de hiperplasia adrenal congênita, que faz com que mulheres produzam grande quantidade de hormônios esteroides masculinos. Segundo pesquisadores da Georgia Southern University, nos Estados Unidos, “o esqueleto é tão feminino quanto pode ser.”

Apesar das suspeitas dos cientistas sobre a condição do general, somente agora puderam ter certeza do fato. Após sua morte, em 1779, um monumento em sua homenagem foi construído em Monterey Square, no estado norte-americano da Georgia. A estrutura, porém, precisou passar por um processo de restauro em 1996, e o corpo do polonês foi exumado e levado para exames.