Kathryn Sullivan é a primeira a caminhar no espaço e alcançar o ponto mais profundo da Terra
Baú com tesouro é encontrado após dez anos de buscas nos Estados Unidos
15/06/2020
Objeto interestelar Oumuamua pode ser um iceberg cósmico
17/06/2020

Kathryn Sullivan é a primeira a caminhar no espaço e alcançar o ponto mais profundo da Terra

A norte-americana Kathryn Sullivan é uma recordista. Seus feitos começaram em 1979, quando fez parte da primeira equipe feminina formada pela NASA, participando de três missões espaciais. Na primeira, que aconteceu em 1984, tornou-se a primeira norte-americana a caminhar no espaço. A astronauta também fez parte da equipe que colocou o telescópio Hubble em órbita, em 1990, além de outros feitos dentro da agência espacial dos Estados Unidos, deixando o órgão em 1993. No entanto, ela não parou por aí. No início de junho deste ano, Sullivan esteve no ponto mais fundo conhecido dos oceanos, a Fossa das Marianas, no Pacífico.

Ela foi acompanhada pelo explorador Victor Vescovo, que financiou a missão e capturou imagens. A descida até a Challenger Deep, como é conhecido o ponto mais baixo da Terra, foi realizada em um submarino de profundidade especialmente projetado para a iniciativa, chamado de Limiting Factor. Kathryn desceu 35.810 pés, aproximadamente 11 mil metros de profundidade, e a viagem de volta para a superfície teve 4 horas de duração. O feito foi divulgado no dia seguinte, 8 de junho, em comunicado no site da EYOS Expeditions, empresa que coordenou a missão.

Ela foi acompanhada pelo explorador Victor Vescovo, que financiou a missão e capturou imagens. A descida até a Challenger Deep, como é conhecido o ponto mais baixo da Terra, foi realizada em um submarino de profundidade especialmente projetado para a iniciativa, chamado de Limiting Factor. Kathryn desceu 35.810 pés, aproximadamente 11 mil metros de profundidade, e a viagem de volta para a superfície teve 4 horas de duração. O feito foi divulgado no dia seguinte, 8 de junho, em comunicado no site da EYOS Expeditions, empresa que coordenou a missão.
No início de junho deste ano, Kathryn Sullivan esteve no ponto mais fundo conhecido dos oceanos, a Fossa das Marianas, no Pacífico.

Quando retornou à superfície, Kathryn fez contato com os astronautas que estão na Estação Espacial Internacional, a uma altitude de 408 km, na órbita baixa da Terra, compartilhando a experiência. No comunicado divulgado, a pesquisadora disse que “como oceanógrafa e astronauta híbrida, este foi um dia extraordinário, um dia na vida, vendo a paisagem lunar da Challenger Deep e depois comparando notas com meus colegas da ISS sobre nossa extraordinária nave espacial reutilizável”. Na mensagem, Vescovo disse que “foi um prazer ter Kathy junto como oceanógrafa durante o mergulho e depois como astronauta para conversar com a ISS”.



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?