_yoast_wpseo_title
Esconderijo nazista da Segunda Guerra Mundial é encontrado na Argentina
23 de março de 2015
Campanha alerta para conscientização contra violência à mulher na Ásia
25 de março de 2015

Livro em papel segue vencendo a preferência por e-book

livro-ebookE-books, tablets, dispositivos eletrônicos para a leitura. Hoje, essa realidade divide a preferência com o método de leitura tradicional, o livro em papel. Estará o bom e velho livro em papel com os dias contados, ameaçado pela tecnologia? O portal Huffington Post enumerou alguns argumentos que desmentem a morte do livro físico e apresentam, inclusive, suas vantagens:

1) Informação boa é offline
É assim que os jovens pensam. Os “millenials”, a geração nascida entre 1980 e 2000, gostam de ler livros mais do que os adultos, segundo a pesquisa do Pew Research. Os jovens consideram que a informação útil para os estudos ou para a vida está nos livros em papel e não nos formatos para tablets.

2) Material didático é em papel
Pesquisa realizada pelo Student Monitor indicou que 87% dos gastos com material escolar para o ano letivo de 2014 foi em livros tradicionais.

3) Humanas no papel, exatas no computador
É assim que estudantes tendem a se relacionar com as fontes de conhecimento. Quando se trata de temas como história e sociologia, alunos preferem se abastecer com as informações em livros. Já para as ciências exatas e para matemática, os tablets oferecem melhor conhecimento, conforme um estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

4) Cheirinho de livro novo?
Quando se trata dos gostos pessoais de leitura, jovens também preferem as versões em papel em detrimento aos e-books. O instituto de pesquisa Nielsen abordou estudantes e os questionou sobre o fator que os levava a adquirir livros. As opções “pesquisar em bibliotecas” e “pesquisar em livrarias” ficaram à frente das indicações de títulos por redes sociais ou dos próprios e-commerce das livrarias, por exemplo.

5) Ligação emocional
A capacidade cognitiva, seja para estudos ou leitura, mostrou ser maior quando o dispositivo é o velho e bom livro em papel. Pessoas que leram no tablet uma história não desenvolveram uma ligação emocional com a narrativa e não absorveram a história. Além disso, não demonstraram ser capazes de se envolver com os personagens.

6) Exemplo dos pais para os filhos
Um instituto especializado em pesquisar a leitura na infância, o Joan Ganz Cooney Center, do Sesame Workshop, apontou que pais preferem ler livros em papel para os filhos antes que eles durmam. O motivo é simples: as luzes, elementos gráficos e animações fariam a criança se distrair e se agitar na hora do repouso.

7) E-books e a insônia
Pesquisa desenvolvida em Harvard descobriu que se o tablet emitir luz, a pessoa mantém o estado de alerta. Nessas condições, pegar no sono se torna mais difícil. Quem lê em tablet leva até 10 minutos a mais para conseguir fechar os olhos e dormir.

8) Distrações no tablet, foco no papel
Notificações de e-mail, de redes sociais e de outros apps podem interromper inúmeras vezes a leitura. Jovens tendem a ter dificuldade de concentração quando leem em um dispositivo eletrônico pelas distrações que o aparelho oferece. Fato que não ocorre quando o que está em foco é o livro em papel.