Em briga histórica com a Grécia, Macedônia quer trocar seu nome
Cidade do Alasca só voltará a ver a luz do sol no ano que vem
28 de novembro de 2018
Expedição encontra últimas árvores gigantes da Mata Atlântica no Brasil
30 de novembro de 2018

Em briga histórica com a Grécia, Macedônia quer trocar seu nome

No fim de setembro, foi realizado um referendo com a população para saber o futuro nome do país. A mudança foi aprovada por mais de 90% dos votantes.

No fim de setembro, foi realizado um referendo com a população para saber o futuro nome da Macedônia. A mudança foi aprovada por mais de 90% dos votantes.

No fim de setembro, foi realizado um referendo com a população para saber o futuro nome da Macedônia. A mudança foi aprovada por mais de 90% dos votantes.

Normalmente, quando ouvimos falar em troca de nome, pensamos numa pessoa física. Trocas de nome acontecem com certa frequência no Brasil, basta você ter mais de 18 anos e a mudança não prejudicar o seu sobrenome. Mas, diferente de como alguém é chamado, mudar o nome de um país inteiro não é tão fácil assim, mas também não é novidade no mundo. O caso mais recente é o da Macedônia.

Já falamos aqui no blog da Traduzca sobre este caso. A novidade é que, ao final de setembro, foi realizado um referendo com a população para saber o futuro nome do país. A mudança, aprovada por mais de 90% dos votantes, não foi muito grande: Macedônia do Norte. Mas por que se submeter a tanta burocracia que envolve a troca de nome de uma nação somente para acrescentar “Norte” ao nome?

Acontece que a Macedônia, por muitos anos território da Iugoslávia, declarou independência em 1991. Isto acarretou uma briga pelo nome de “Macedônia” entre o país e a Grécia, que também tem uma região, ao norte do país, com o mesmo nome. Os gregos temem que seja criado um movimento para anexar a região homônima dentro do seu território. Isto fez com que o governo grego trabalhasse para vetar o ingresso dos macedônios na ONU. A briga por nomes, no fim das contas, é baseada em uma disputa por terra.

Alguns anos se passaram e, enfim, houve um tratado. A Macedônia passaria a se chamar “Antiga República Iugoslava da Macedônia”, cujo acrônimo é “FYROM”. Porém esse nome não agradou muito aos macedônios, que lutam desde então pela extinção do nome.

Em junho deste ano, Macedônia e Grécia assinaram um tratado para que o país passe a se chamar Macedônia do Norte. Falta o reconhecimento oficial, além de um apoio maior da população: apesar do referendo do último domingo contar com mais de 90% dos votos à favor da mudança, apenas 36% dos cidadãos do país compareceram à votação. Para ser válido, o referendo precisa de pelo menos metade dos eleitores.

Comentários