_yoast_wpseo_title
Bibliotecas são alvo da tirania há pelo menos dois milênios
31/03/2015
Erro de tradução na astronomia pode ter impulsionado a ficção científica
02/04/2015

Um monumento isolado no meio do deserto do Saara

monumento-deserto-saaraNos confins do mundo, longe de qualquer civilização, um monumento quebra o marasmo no deserto do Saara, no Níger. No dia 19 de setembro de 1989, seis terroristas detonaram uma bomba em um avião modelo DC-10, que saiu de Brazzaville, na República do Congo, com destino a Paris, na França. O ataque vitimou as 170 pessoas a bordo no voo UTA 772.

Passados 18 anos, familiares se reuniram no local da queda da aeronave. Caminhões transportaram pedras para lá, que se tornariam o monumento mais inacessível da Terra. Um círculo com 60 metros de diâmetro surgiu das areias do deserto formando, ao centro, uma imagem de um avião. A obra levou cerca de dois meses para ser concluída. Para representar cada uma das vítimas, incluindo os seis terroristas, 170 espelhos quebrados foram colocados em volta do círculo.

A asa direita da cauda da aeronave foi reaproveitada, sendo erguida como uma placa onde foram gravados os nomes das vítimas. O memorial em homenagem às vítimas que estavam no voo UTA 772 foi todo financiado pelo governo libanês, nacionalidade dos seis terroristas.

Apesar de estar distante de tudo, no meio do deserto do Saara, você pode visitá-lo pela internet. Para chegar ao monumento pelo Google Maps, basta usar as coordenadas: 16°51’53”N 11°57’13”E .

monumento-deserto-saara-01



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by