Museu do Louvre lança linha de perfumes inspirados em obras do acervo
Versão original do Diário de Anne Frank é publicada na Alemanha
8 de julho de 2019
No Dia da Pizza, físicos calculam como preparar uma pizza perfeita
10 de julho de 2019

Museu do Louvre lança linha de perfumes inspirados em obras do acervo

O maior museu de arte do mundo vai inaugurar uma exposição inédita. Mas não imagine ver obras raras, estátuas recém descobertas ou novas peças que entrarão para o catálogo. O Louvre está preparando uma experiência olfativa para os visitantes de um dos espaços mais famosos do mundo. Para isso, oito renomados perfumistas foram escolhidos para extrair o cheiro de grandes criações expostas no museu francês. As fragrâncias serão expostas e vendidas por tempo e edição limitadas.

A iniciativa, inédita e limitada é resultado de uma parceria entre o Museu do Louvre e a marca de perfumes Buly. Cada perfumista teve a liberdade de selecionar uma obra para retratar o seu cheiro. Foram escolhidas as obras São José Carpinteiro, do francês Georges de La Tour, Le verrou, do francês Jean Honoré Fragonard, A Grande Odalisca, do francês Jean-Auguste Dominique Ingres, Ninfa e o Escorpião, do italiano Lorenzo Bartolini, Conversa no Parque, do inglês Thomas Gainsborough, A Banhista de Valpinçon, do inglês William Etty, Nice de Samotrácia e Vênus de Milo, de autores desconhecidos. Cada frasco custa € 150,00 e pode ser adquirido no site oficial da perfumaria.

Em entrevista à Agência EFE, o diretor de comunicação do Louvre, Adel Ziane disse que “quando a pessoa vai ao museu, não é só para ver os quadros, as esculturas, as obras de arte. Ela vai para ter uma experiência sensorial” e que “a perfumaria é uma arte que existe há milhares de anos. Os perfumes acompanham a história da humanidade, e quisemos prestar homenagem a essa história através desta parceria”. Os perfumes estarão à venda por um ano, incluindo os seis meses em que serão apresentados na loja do museu.

Cada perfumista passou por um processo para definir o cheiro das obras em exposição no Museu do Louvre. Enquanto uns conseguiram defini-lo logo no início do projeto, outros demoraram mais de um mês. Nice de Samotrácia foi retratada por Aliénor Massenet como uma mistura de jasmim, bergamota, magnólia e rosa. Já Jean-Christophe Hérault associou a obra Vênus de Milo com aromas de tangerina e jasmim.