O caminho de Dom Pedro I até a Independência do Brasil
Aplicativo oferece acomodações curiosas pelo mundo
5 de setembro de 2019
Coreia do Norte abriga o maior prédio abandonado do mundo
9 de setembro de 2019

O caminho de Dom Pedro I até a Independência do Brasil

O grito de “independência ou morte!”, proclamado às margens do Riacho do Ipiranga em 7 de setembro de 1822, é um dos mais famosos da história do nosso país. A atitude do príncipe-regente Dom Pedro I de romper a relação do Brasil com Portugal, governado por seu pai, Dom João VI, completa 197 anos neste sábado e, para marcar a data, o blog da Traduzca conta os caminhos percorridos antes de nossa independência ser anunciada para o mundo.

O processo de independência do Brasil começou em janeiro de 1822, mais precisamente no dia 9, quando Dom Pedro I desobedeceu uma ordem da Coroa para que voltasse à Portugal. O fato, que ficou conhecido como o “Dia do Fico”, desencadeou uma série de medidas que foram tomadas em sequência pelo governante brasileiro, como a organização da Marinha de Guerra, a expulsão das tropas portuguesas do Brasil, a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte e a viagem para São Paulo e Minas Gerais para acabar com rebeliões que se formavam nos estados vizinhos.

Durante a viagem para São Paulo, Dom Pedro I e a comitiva Real passaram por várias cidades do estado, tendo como último destino Santos, no litoral. Quando retornavam da cidade litorânea para a capital paulista, no alto de uma colina próxima ao Riacho do Ipiranga, o Imperador e seus acompanhantes foram surpreendidos por dois cavaleiros, o major Antônio Ramos Cordeiro e Paulo Bregaro – hoje Patrono dos Carteiros – com cartas de sua esposa, a Imperatriz Dona Leopoldina, uma de José Bonifácio, duas vindas de Lisboa, uma de seu pai, o rei Dom João VI, uma de Chamberlain, seu amigo de confiança, e outra com instruções da Corte, exigindo o imediato retorno para Portugal e a prisão de José Bonifácio.

Em linhas gerais, as cartas de Leopoldina, Bonifácio e Chamberlain clamavam pelo imediato retorno de Dom Pedro I para o Rio de Janeiro. Ao ler os textos, o Imperador reuniu sua comitiva e proclamou, então, a independência do Brasil em relação a Portugal, com o grito “Independência ou morte!” às margens do Riacho do Ipiranga em São Paulo.