O que é o Novembro Azul e quando ele começou
Homem descobre que seu peso de porta é um meteorito avaliado em 100 mil dólares
1 de novembro de 2018
Cidade na Itália dá cerveja e sorvetes em troca de exercícios físicos
6 de novembro de 2018

O que é o Novembro Azul e quando ele começou

O câncer de próstata em seu início não apresenta nenhum sintoma, por isso é muito importante a realização de exames de toque e de sangue periódicos.

O câncer de próstata em seu início não apresenta nenhum sintoma, por isso é muito importante a realização de exames de toque e de sangue periódicos.

O câncer de próstata em seu início não apresenta nenhum sintoma, por isso é muito importante a realização de exames de toque e de sangue periódicos.

Sabemos que, há alguns anos, os meses do ano ganham cores para a conscientização da saúde. O mês de outubro, por exemplo, ganha a tonalidade rosa devido à campanha para prevenção do câncer de mama, como já relatamos aqui no blog da Traduzca. Hoje vamos falar de outro mês que ganha uma tonalidade diferente: o novembro azul.

Na maioria dos lugares ao redor do mundo, a campanha é chamada de Movember, que significa Moustache + November em inglês. Bigode e Novembro. A ideia do novembro azul começou em um Pub, na Austrália, em 1999. Um grupo de amigos teve a ideia de deixar o bigode crescer durante todo o mês como apoio à conscientização da saúde masculina e à arrecadação de fundos para instituições de caridade. Novembro foi o mês escolhido justamente por comemorar no dia 17 o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

A campanha ganhou corpo e, alguns anos depois, o país todo estava participando. Logo após, em 2004, foi criada a Movember Foundation Charity, instituição para a conscientização mundial masculina sobre o câncer de próstata. A ideia então era que os homens deixassem o bigode crescer durante todo o mês de novembro para divulgar a importância do cuidado com a saúde masculina, tendo o câncer de próstata e a depressão como temas centrais.

No Brasil, a campanha foi implementada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia. A campanha ainda está crescendo por aqui. No ano passado foram realizadas 2.200 ações oficiais em todo o país e, assim como no Outubro Rosa, há a iluminação de vários pontos turísticos pelo Brasil e pelo mundo. Diversas celebridades e instituições apoiam a campanha e muitos eventos são criados para disseminar informações e arrecadar dinheiro para a causa. Com toda essa iniciativa, hoje a Campanha Novembro Azul faz parte do calendário nacional de prevenções em todo o mundo.

Saiba mais sobre o câncer de próstata e como prevenir

A doença em seu início não apresenta nenhum sintoma, por isso é muito importante a realização de exames de toque e de sangue periódicos. O exame de sangue não substitui o de toque, pois muitas vezes a doença não é diagnosticada a partir do sangue, por isso os exames são complementares, isto é, ambos devem ser feitos.

Normalmente, os homens são mais resistentes em cuidar de sua saúde de forma preventiva e procurar um médico regularmente. Por isso, na maioria das vezes, a doença é descoberta tardiamente, apenas quando os sintomas começam a aparecer. 95% dos casos de câncer de próstata já se encontram em estágio muito avançado e grave quando os sintomas começam a aparecer, por isso é tão importante prevenir e descobrir a doença na fase inicial, quando as chances de cura são grandes.

Mas, quais são os sintomas? Os mais comuns, como já dito anteriormente, só aparecem na fase avançada da doença, são: vontade urgente e repentina de urinar, dificuldade para urinar, diminuição no jato de urina, aumento da frequência urinária, dores corporais e ósseas, insuficiência renal e fortes dores.

Mas existem alguns hábitos para diminuir os riscos da doença:

– Uma dieta saudável, rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais, evitando gorduras, principalmente de origem animal.

– Atividade física, ao menos 30 minutos, entre 3 e 5 vezes na semana.

– Controle de peso, evitar a obesidade e manter o peso adequado ao seu corpo.

Comentários