Peça de xadrez perdida há 200 anos é encontrada dentro de uma gaveta
Alunos das Filipinas terão que plantar árvores antes de se formarem na escola
4 de junho de 2019
Dicas de livros e filmes para entender o que foi o Dia D da Segunda Guerra Mundial
6 de junho de 2019

Peça de xadrez perdida há 200 anos é encontrada dentro de uma gaveta

Sabe aqueles objetos recebidos como herança que vamos guardando em casa? Muitos deles têm um valor sentimental muito maior que o comercial e são guardados ou expostos em armários e prateleiras. Um caso semelhante aconteceu com uma família de Edimburgo, no Reino Unido. Uma pequena estatueta feita em marfim estava dentro de uma gaveta, com vários outros objetos. O que parecia corriqueiro pegou todos de surpresa: a peça pertence a um jogo de xadrez medieval e estava perdida há 200 anos, e seu valor de mercado pode chegar a R$ 5 milhões.

A estátua pertence ao “Jogo de Xadrez de Lewis”, que tem origem escandinava e foi fabricado no século XII. O objeto representa um carcereiro, uma peça semelhante à torre no xadrez atual. O conjunto completo, formado por quase 100 peças, ainda tem outras cinco com localização desconhecida, possivelmente estão habitando outras caixas e gavetas pelo mundo afora. Das 93 encontradas na Escócia, em 1831, 82 estão no Museu Britânico e 11, no Museu Nacional da Escócia.

Um dos membros da família que guarda a peça disse que seu avô era um colecionador e que comprara o objeto na década de 1960 por 5 libras, aproximadamente, R$ 24. Em uma entrevista, ele diz que “quando minha avó morreu, minha mãe a herdou. Ela gostava muito da peça e admirava a sua aparência intrigante e estranha. Para ela, a peça era especial e tinha um significado mágico”.

A peça foi analisada e a autenticidade foi confirmada. Agora ficará exposta em Londres e depois seguirá para leilão no dia 2 de julho. Colecionadores particulares e museus europeus já demonstraram interesse em adquiri-la, segundo especialistas, ela pode valer até 1 milhão de libras, o equivalente a R$ 4,93 milhões na atual cotação. Quem não gostaria de receber uma herança dessas, não é mesmo?