Pela primeira vez, cientistas observam brilho verde na atmosfera de Marte
Artefato com 3.500 anos é encontrado por menino de 6 anos em Israel
22/06/2020
Inteligência artificial ajuda a decifrar a antiga escrita Linear B
24/06/2020

Pela primeira vez, cientistas observam brilho verde na atmosfera de Marte

Um fenômeno semelhante à aurora boreal foi observado na atmosfera de Marte. Esta é a primeira vez que o evento é registrado fora da Terra e, segundo a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), o registro do fenômeno é fundamental para o sucesso de futuras missões humanas no planeta vermelho, além de conhecer melhor a atmosfera marciana. O estudo que relata a observação espacial foi publicado na última segunda-feira, dia 15 de junho, na revista científica Nature Astronomy.

Um fenômeno semelhante à aurora boreal foi observado na atmosfera de Marte. Esta é a primeira vez que o evento é registrado fora da Terra e, segundo a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), o registro do fenômeno é fundamental para o sucesso de futuras missões humanas no planeta vermelho, além de conhecer melhor a atmosfera marciana. O estudo que relata a observação espacial foi publicado na última segunda-feira, dia 15 de junho, na revista científica Nature Astronomy.

O estudo sobre a aurora boreal de Marte foi liderado pelo pesquisador Jean-Claude Gérard, da Universidade de Liège, na Bélgica. Para conseguir captar a luz, o grupo de cientistas utilizou um modo de observação especial do ExoMars, sonda da Agência Espacial Europeia, que inclui um detector de luz visível e ultravioleta. A captação de imagens ocorreu entre os dias 24 de abril e 1º de dezembro de 2019, com o equipamento escaneando altitudes que variam de 20 a 400 quilômetros da superfície marciana, duas vezes por órbita.

Em comunicado, Gérard disse que “as observações em Marte corroboram os modelos teóricos anteriores [sobre o assunto], mas não o brilho que vemos em torno da Terra, onde a emissão é muito mais fraca”, acrescentando que “isso sugere que temos mais a aprender sobre como os átomos de oxigênio se comportam, o que é extremamente importante para o nosso entendimento da física atômica e quântica”. O cientista Håkan Svedhem, que também participou da pesquisa, disse que “esse tipo de observação de sensoriamento remoto, juntamente com medições in situ em altitudes mais elevadas, nos ajuda a prever como a atmosfera marciana responderá a mudanças sazonais e variações na atividade solar”.

Para o grupo de cientistas da Agência Espacial Europeia, o estudo sobre a atmosfera de Marte é importante para coletar e compreender informações sobre a composição e a dinâmica do planeta e sua atmosfera. Esses dados são fundamentais para o sucesso de futuras missões espaciais para o planeta vermelho, sejam tripuladas por humanos ou com o envio de satélites e sondas.



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?