Pesquisadores encontram o mais antigo e grandioso monumento da civilização maia
Tradução de Memórias Póstumas de Brás Cubas esgota em um dia nos EUA
08/06/2020
Belga recebe pizzas em casa todos os dias sem pedir
10/06/2020

Pesquisadores encontram o mais antigo e grandioso monumento da civilização maia

Um antigo monumento da civilização maia, possivelmente utilizado para a observação do Sol, foi descoberto recentemente por um grupo internacional de arqueólogos no sul do México. Esta é, até o momento, a mais antiga e grandiosa construção já encontrada do povo que viveu entre a América Central e do Norte. A descoberta aconteceu em novembro de 2019, mas só foi divulgada no último dia 3 de junho em artigo publicado na revista científica Nature.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o arqueólogo japonês Takeshi Inomata, coordenador da pesquisa, disse que o monumento descoberto era “para todos, ao contrário das construções maias posteriores, voltadas principalmente para governantes e elites”. O pesquisador definiu a construção descoberta como um “grande projeto colaborativo, que deu uma nova identidade a esse grupo”. O monumento, descoberto na localidade de Aguada Fénix, sul do México, é uma plataforma de 1,5 km de comprimento construída com argila e terra batida. Os pesquisadores determinaram que a estrutura maia fora construída há cerca de 3.000 anos.

Como a região é densamente coberta pela mata tropical, a equipe internacional de arqueólogos realizou sobrevoos na área utilizando uma tecnologia chamada Lidar, uma sigla que corresponde a algo como "detecção e mapeamento por luz". Este processo permite que os cientistas analisem o solo sem a necessidade de escavações e montem um mapa topográfico do que está embaixo da floresta sem derrubar uma única árvore. Segundo estudos, entre os anos 1000 a.C. e 800 a.C., aproximadamente 4 milhões de metros cúbicos de argila e terra foram utilizados para construir, ao que tudo indica, o mais antigo e grandioso monumento da civilização maia.

Como a região é densamente coberta pela mata tropical, a equipe internacional de arqueólogos realizou sobrevoos na área utilizando uma tecnologia chamada Lidar, uma sigla que corresponde a algo como “detecção e mapeamento por luz”. Este processo permite que os cientistas analisem o solo sem a necessidade de escavações e montem um mapa topográfico do que está embaixo da floresta sem derrubar uma única árvore. Segundo estudos, entre os anos 1000 a.C. e 800 a.C., aproximadamente 4 milhões de metros cúbicos de argila e terra foram utilizados para construir, ao que tudo indica, o mais antigo e grandioso monumento da civilização maia.

Projeções em terceira dimensão foram publicadas no estudo divulgado. Segundo a pesquisa, a estrutura maia tinha fins astronômicos, medindo 1.413 metros de norte a sul e 399 metros de leste a oeste, com uma altura entre 10 e 15 metros. No centro da estrutura, há uma elevação de onde era possível observar o Sol nascendo no solstício de verão e no solstício de inverno. Veja, abaixo, algumas ilustrações da construção.



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?