Projeto cria reproduções em 3D de museus e monumentos ao redor do mundo
Italiano cria biblioteca itinerante que leva livros para crianças de cidades distantes
22 de abril de 2019
Rio conhecido como “Arco-íris líquido” é uma das belezas da Colômbia
24 de abril de 2019

Projeto cria reproduções em 3D de museus e monumentos ao redor do mundo

Passado o incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro em setembro de 2018, e mais recentemente na Catedral de Notre-Dame, em Paris, muitas entidades governamentais e ONGs estão dedicando mais atenção aos prédios e monumentos históricos ainda em pé no nosso planeta. A preservação destes fragmentos históricos, para que as próximas gerações também possam ter contato, é um dos desafios do século XXI. Hoje o blog da Traduzca apresenta um projeto do Google, que facilita o acesso aos pontos turísticos mais visitados do mundo.

Criado em 2011, o Google Arts & Culture é uma ferramenta online mantida pela gigante da tecnologia em colaboração com museus espalhados por todo o mundo. O diferencial da plataforma é a utilização do serviço Street View, que possibilita um passeio virtual nas ruas ao redor e pelas maiores galerias de arte da Europa, Américas, África, Ásia e Oceania. O site, que é gratuito e acessível por qualquer pessoa com acesso à internet, ainda apresenta imagens em alta resolução das obras com informações detalhadas.

Avançando um pouco nas possibilidades oferecidas pelo Arts & Culture, o Google firmou uma parceria com a ONG CyArk, com o objetivo de disponibilizar imagens e reproduções em 3D de pontos turísticos de vários locais do mundo que correm o risco de danos ou destruição completa, por ação humana ou desastres naturais. O Open Heritage registra informações em foto e vídeo de 30 locais selecionados em vários países, como a Catedral Metropolitana da Cidade do México, por exemplo, que já conta com sua reprodução em três dimensões.

Os trabalhos em 3D disponibilizados no projeto são tão detalhados, que podem auxiliar na restauração de construções e monumentos que, eventualmente, sofram algum dano, além de possibilitar passeios virtuais e gratuitos para interessados no mundo todo. Nos casos da Catedral de Notre-Dame e do Museu Nacional do Rio de Janeiro, os prédios infelizmente não foram incluídos no programa antes dos incêndios.