Suíça é um dos principais destinos para quem deseja fazer intercâmbio
Coreia do Norte abriga o maior prédio abandonado do mundo
9 de setembro de 2019
Erro de impressão coloca mestre Jedi Yoda ao lado do rei Faisal da Arábia Saudita
11 de setembro de 2019

Suíça é um dos principais destinos para quem deseja fazer intercâmbio

Quem planeja um intercâmbio de estudos, mas ainda não sabe o país no qual deseja se alocar, precisa ler este texto até o fim. Segundo dados divulgados este ano pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE, a Suíça é o melhor país do mundo para estudantes estrangeiros e o terceiro para imigrantes empreendedores qualificados, atrás apenas da Austrália e da Suécia. Alguns fatores explicam o que levou a entidade a definir isso, e é o que apresentamos a seguir.

Universidades e Centros de Pesquisa

A Suíça abriga 12 universidades, sendo dez cantonais e duas federais, além de várias escolas superiores de nível técnico. De acordo com o ranking educacional Times Higher Education, link externo (THE), as universidades suíças lideram com frequência as listas de melhores e mais receptivas da Europa e do mundo. Além disso, as universidades reúnem alto número de estudantes estrangeiros.

Ambiente internacional

Por ter quatro idiomas oficiais, o alemão, o francês, o italiano e o romanche, a Suíça é um importante centro internacional. Além disso, por fazer parte do acordo de Schengen e de Dublin, o país está dentro da comunidade comum europeia de livre trânsito. Brasileiros com interesse em estudar na nação helvética recebem um visto de categoria D e solicitam a permissão de permanência junto às autoridades cantonais.

Anuidades módicas

A avaliação divulgada pela OCDE leva em consideração os custos com os quais o estudante precisa se comprometer durante seu intercâmbio e, neste quesito, é quase impossível competir com o país europeu. Para comparação, as tarifas anuais em graduações de primeira linha dos Estados Unidos custam, em média, 25 mil dólares, ou 24 mil francos. Enquanto isso, na Suíça, um semestre em uma instituição de ponta não sai por mais de mil francos em taxas.