Veneza, na Itália, sofre uma das maiores enchentes da história
Netflix prepara série de animação sobre a civilização maia
12/11/2019
Cinco nomes para entender a proclamação da república no Brasil
14/11/2019

Veneza, na Itália, sofre uma das maiores enchentes da história

Veneza é um dos principais destinos turísticos da Itália. A cidade, famosa pelos diques e gôndolas, está enfrentando um sério problema nos últimos dias. Devido à elevada quantidade de chuvas que atinge a região, os diques estão enchendo rapidamente e a localidade está sofrendo com uma das maiores enchentes da história. As cheias levaram o prefeito da cidade italiana a declarar “estado de catástrofe natural” até que os prejuízos sejam contabilizados e resolvidos.

“Enfrentamos uma maré mais que excepcional. Todos estão mobilizados para lidar com essa emergência”, declarou o prefeito Luigi Brugnaro em sua conta no Twitter, além de fazer um pedido à população, afirmando que “necessitamos que todos nos ajudem a lidar com o que é claramente o impacto das mudanças climáticas”. O Centro de Marés de Veneza, órgão responsável pelo monitoramento das águas do município italiano, está utilizando os meios de comunicação tradicionais e as redes sociais da prefeitura para manter a população informada sobre o nível dos diques.

Chamado de acqua alta, ou maré alta na tradução do italiano para o português, o fenômeno é um dos mais fortes a atingir Veneza na história. A água alcançou 1,90 metro de altura na noite da última terça-feira, dia 12 de novembro, apenas quatro centímetros abaixo do nível mais alto registrado até agora, durante a cheia de 1966. O fato mais preocupante, segundo o prefeito da cidade, é que três das cinco maiores inundações já registradas ocorreram nos últimos 20 anos, a última em 2018.

Autoridades de Veneza afirmam que o fenômeno da acqua alta costuma alagar as regiões mais baixas da cidade, como a praça de São Marcos, um dos principais cartões-postais locais. O vestíbulo da basílica de São Marcos, porém, localizado em frente à praça, não alaga com frequência. O procurador do prédio, Pierpaolo Campostrini, diz que a igreja, construída em 828 e reconstruída em 1063 após um incêndio, teve o vestíbulo inundado em apenas cinco ocasiões.



Open chat
1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by