Versão original do Diário de Anne Frank é publicada na Alemanha
#TBTraduzca: 21 anos de história com o futebol
5 de julho de 2019
Museu do Louvre lança linha de perfumes inspirados em obras do acervo
9 de julho de 2019

Versão original do Diário de Anne Frank é publicada na Alemanha

A história de Anne Frank precisa ser contada e recontada inúmeras vezes. Os textos escritos em seu diário entre 1942 e 1944 foram publicados por seu pai em 1947, e desde então este diário já foi lançado em mais de 40 países e traduzido para mais de 70 idiomas, vendendo aproximadamente 35 milhões de cópias. Recentemente, o livro inspirado em seus registros foi republicado, agora com o conteúdo original escrito pela jovem alemã de origem judaica, sem edições.

Declarado como patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Diário de Anne Frank tem três versões. A primeira, chamada de “versão A”, foi escrita de forma espontânea pela jovem enquanto se escondia em Amsterdã com a sua família. A segunda, chamada de “versão B”, também foi escrita pela jovem, mas com edições após escutar em uma rádio um chamado para que a população registrasse o sofrimento dos judeus holandeses, para documentar ao fim da guerra. A terceira versão é o resultado de uma edição feita por seu pai, Otto Frank, quando misturou as duas primeiras e omitiu algumas informações que julgava pessoais.

A versão A, sem edições, foi publicada na Alemanha com o título Liebe Kitty: Ihr Romanentwurf in Briefen, ou Querida Kitty: seu romance baseado em cartas, na tradução do alemão para o português. A publicação foi realizada pela especialista em literatura Laureen Nussbaum, de 91 anos, que sobreviveu ao Holocausto e conheceu Anne e Margot Frank. Kitty é um personagem fictício, criada por Anne como a destinatária de suas cartas. Em entrevista ao portal alemão Deutsche Welle, Nussbaum, que trabalhou 25 anos no projeto de reedição da obra, disse que “o diário que todos conhecemos é uma amálgama, uma mistura do diário espontâneo e de retoques posteriores feitos pela Anne”.

Você que acompanha o blog da Traduzca já acompanhou várias histórias sobre Anne Frank publicadas aqui. A última vez que falamos da jovem foi em maio deste ano, quando relatamos que cartas escritas por ela para sua avó foram traduzidas e publicadas. Para ler outros conteúdos sobre a jovem alemã, clique aqui.